quinta-feira, março 31, 2011

Conselho irlandês sobre o FMI


Do jornal irlandês , "Sunday Independent" referido no "Diário Económico"

"Não quero intrometer-me mas tenho lido sobre vocês nos jornais e acho que estou em condições de vos dar alguns conselhos sobre o que têm pela frente". Assim se inicia uma carta assinada pelo colunista Brendan O'connor, publicada na primeira página da edição do último domingo do ‘Independent'.

"Sei que estão sob pressão para aceitar um resgate e que os vossos políticos dizem estar determinados em o recusar. Eles dirão que nem por cima dos seus cadáveres. Segundo a minha experiência isso significa que serão resgatados muito em breve, provavelmente a um domingo".

Brendan O'connor esclarece que resgatar e ajudar não são sinónimos. "Dado que o inglês é a vossa segunda língua, talvez possam pensar que as palavras ‘bailout' e ‘aid' significam que serão ajudados pelos nossos irmãos europeus para superar as dificuldades do presente". Na Irlanda, escreve, "o inglês é a nossa língua materna e era isso que nós pensávamos que ‘bailout' e ‘aid' significavam". No entanto, continua, "permitam-me que vos avise: esse ‘bailout' não vai resolver os vossos problemas, vai, provavelmente, arrastá-los para as gerações futuras".

A crise política portuguesa também não passou despercebida. "Também sei que vão trocar de governo nos próximos meses (...) Nós também mudámos de Governo e é uma boa diversão durante algumas semanas (...) Verão que o novo governo fará todo o tipo de promessas durante a campanha eleitoral", avisa.

O documento termina assim: "Portugal, aproveita enquanto podes porque a realidade estará à espera para irromper novamente quando toda a diversão desaparecer".

O texto foi extraído do "Diário Económico"

O texto original está referido no aqui


4 comentários:

Fresco_e_Fofo disse...

Já tinha visto na televisão.
A Irlanda a dar conselhos... bem, se nos recordarmos que a Irlanda foi uma referência para os governos europeus, como modelo de economia de sucesso, acho que com os "bons resultados" obtidos bem podem limpar as mãos à parede. Isto para não dizer que metam os conselhos num sítio que fica ao fundo das costas.

António Branco disse...

Olá Fresco!
É verdade. O jornalista, mais do que dar conselhos, lamenta o que sucedeu à Irlanda... sugerindo que nos preparemos para ser enganados...
A Irlanda teve um bom desempenho até que os BPNs deles fizeram ainda pior do que os nossos. Têm - ainda - a vantagem de ter dos impostos mais baixos da Europa (12,5% de IRC), o que atrai empresas, que se espera criem postos de trabalho...
Vamos ver... o seu futuro... e o nosso...

Pusinko disse...

Parece que fomos há muito largados de uma encosta escarpada, mas só agora se vê a dimensão do abismo. E travões? Não há.

António Branco disse...

Talvez haja pára-quedas, Pusinko! Vamos ver...