sexta-feira, fevereiro 04, 2011

Lilith, a revolucionária esposa de Adão.



Lilith é tida como a primeira esposa de Adão no folclore popular hebreu medieval. Lilith terá abandonado Adão, deixando o Éden, devido a uma disputa sobre a igualdade entre os sexos (Lilith teria sido criada do pó da terra, tal com Adão).

Lilith, recusando-se a ficar sempre por baixo durante as suas relações sexuais, por sentir que isso era uma posição de submissão, ter-se-á queixado a deus. No entanto, por obter como resposta “Essa é a ordem natural das coisas”, abandonou o Éden. Foi seguida por três anjos, que a tentaram demover da decisão sem sucesso. Deus acabou por criar Eva, a partir de uma costela de Adão e não do pó da terra (talvez para com isso poder justificar algum grau de “desigualdade”, que na altura lhe dava jeito…).

Lilith juntou-se aos anjos caídos e passou a viver com Samael.
Samael tentou Eva. Lilith tentou Adão.
Destas tentações resultou a expulsão de Adão e Eva do Éden. Lilith tentou então destruir os filhos de Adão com Eva. Liltih nunca teria deixado de perseguir os homens adúlteros (o que Adão tinha sido para si quando se juntou a Eva), os jovens casados (símbolo da mesma união), e os recém nascidos (símbolos dos filhos de Adão com Eva).

Esta história tem base em textos hebreus. No entanto, a própria bíblia refere a existência de Lilith (em Isaías 34:14) e os sumérios têm registo da sua existência, tendo passado esse registo a imagem, que reproduzo.

Esta imagem é, do meu ponto de vista, linda, na sua remissão para o réptil, ou – melhor – para a imagem que frequentemente se faz do extra-terrestre. Aqui ela apresenta garras (curioso serem só três) e asas (hoje sabemos haver ligação entre os répteis e os pássaros, sendo estes os únicos representantes dos dinossauros na Terra – que nós saibamos). As corujas que a ladeiam podem remeter para a vida nocturna. Ou para a inteligência.

Seria Lilith a serpente do Éden?

8 comentários:

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

Desconhecia a sua existência ;)

Corina de Oliveira disse...

Desconhecia mesmo :)

Por acaso até gosto do horóscopo chinês... no entanto, acho que o Caranguejo tem mais a ver comigo do que o Dragão :p mas acabo por achar piada na mesma!

Já agora... Kung Hei Fat Choi significa Feliz Ano Novo em mandarim :D

Fábio Silva disse...

Pelos vistos não sou o único a desconhecer a história. Mas há aqui algo a ter em conta, algo que se encontra bem visível nas entrelinhas: o esforço da mulher para se libertar dessa condição inferior, com que desde o inicio dos tempos lhe rotulam. Até mesmo Deus (homem, não esqueçamos) acha normal. Bastava não ser essa "a ordem natural das coisas", para as mulheres não serem tratadas como são em muitos países do mundo.

P.S: Comentei aqui poucas vezes, mas tenho seguido o espaço. Continua ;)

António Branco disse...

Olá GaSPaS!
Só soube há pouco. E achei interessante partilhar. :)

António Branco disse...

Olá Corina!
Kung Hei Fat Choi! ;)

António Branco disse...

Olá Fábio!
Felizmente as desigualdades estão cada vez mais esbatidas no ocidente. Sabemos que não será assim em todo o mundo. Mas o caminho, apesar de lento, parece ser o certo.
Um abraço!

dinona disse...

Conhecia a história, mas nunca tinha feito a analogia que se ela é representada um bocado réptil poderia ser considerada a serpente.

António Branco disse...

Olá Dinona! Bem vinda!
As histórias sobre este tema são fascinantes. E são muitas. Não apenas a tradicional...
A história tradicional apresenta-se com maiores potencialidades para submeter um povo a um deus que ainda não vimos e para submeter a mulher ao homem... todas estas histórias que vão surgindo (apesar de terem, algumas, milhares de anos), libertam-nos a mente para uma variedade de possibilidades (como a relação sexual com um ser reptóide, o que marca bem a necessidade de o deus que o decidiu ter conhecimentos apurados de genética para criar tais seres, passíveis de procriar com humanos) e liberta-nos para uma maior igualdade entre masculino e feminino.