sexta-feira, novembro 11, 2011

Não sei como é que as pessoas vêm deus nas igrejas, que são feitas de homens.



No Brasil, uma família foi expulsa do espaço que tinha oferecido à igreja. Isto é, o pai ofereceu, e as filhas são postas na rua assim que ele morre... A notícia nem deveria ser muito importante. A não ser na medida em que nos trás dados sobre o que fazer a alguma coisa que queiramos que fique fora do alcance de um descendente... porque já sabemos que as igrejas são sociedades comerciais e que quem se submete a elas não pode esperar outra coisa. Mais ainda com a experiência que já têm na coisa...

Serve este intróito para lembrar notícia semelhante que ouvi hoje nas notícias da Tv mas que não encontrei na net. Uma família, constituida por duas irmãs, ofereceu a casa em que vivia ao santuário de Fátima. Desde que pudesse continuar a viver numa das suas divisões até morrer. Ora, agora que uma irmã morreu, a outra vai ser posta na rua. A igreja diz que a senhora não vivia lá. Que se instalou após a morte da irmã...

... metam-se com as igrejas, metam...

Encontrei!

10 comentários:

Manuel Santos Marques disse...

Não consigo ver o vídeo, mas fica aqui notícia do DN. Muitas vezes, o rebanho não é melhor que o pastor.

António Branco disse...

Olá Manuel! Fico sem saber se não devemos pôr na fogueira pastor, o rebanho ou os dois... Quanto ao vídeo, para mim basta clicar sobre a figura que está por baixo do "Encontrei!".

Manuel Santos Marques disse...

Dava-me erro de contacto com o servidor, mas agora consegui ver. Como de qualquer maneira do inferno já não me safo, posso afirmar tranquilamente que esta senhora me parece... uma raposa velha. Esta gente que vive dentro da igreja, ou paredes meias com ela, respira diariamente aldrabice. Não nos imiscuirmos nas disputas deles é capaz de ser uma medida básica de higiene.

António Branco disse...

Tenho a ideia de que achavas retrógrado não nos metermos em disputas em que uma das partes pode ser desmesuradamente mais poderosa do que a outra ;)

Manuel Santos Marques disse...

Tens razão: vamos lá salvar a velhota e limpar o sebo a uns padrecas.

António Branco disse...

hehe. ainda vamos nós para a fogueira e calam-se com a história da velhota para não chamar mais a atenção :)

Isa disse...

Estou aqui, António, com meu coraçãozinho balançando entre o é bem feito! e o ó, tadinha ....
Olha já decidi! eles que são muito católicos e muito praticantes, que se entendam.

António Branco disse...

Pois é Isa. A certa altura, dá vontade de pensar... armaste-te em parvo? "Desemerda-te".

Pusinko disse...

As pessoas podem ter muitas razões para fazer doações: promessas, dívidas, contribuir para causas nobres efectuadas por outra identidade que pode agir em maior proporção bla bla bla, consciência pesada, salvaguarda de bens (ONGs e tal).
Seja qual for a razão, quando são doações às Igrejas, umas são de boa fé, outras induzidas por 3os, ou ainda, salvaguarda espiritual para a alminha ir directa ao céu.
Mas quem dá o que tem e tem pouco, acaba, como nestes casos, engulido por quem vê a igreja um negócio lucrativo, que o é, onde a ignorância é a base da sua sobrevivência. É o caso de muitos líderes espirituais (o tanas).
Os senhores padres sabem sempre melhor (o que é melhor para eles).

Salvo raras excepções, é o que penso. A Igreja, enquanto instituição de bem, é podre. Quando vier outro Jesus, há-de expulsar 99% destes gajos de todos os seus templos. :) Isso é que era fixe!

António Branco disse...

Tens razão Pusinko. Mas... e se Jesus não vier tão depressa? Se calhar vale a pena ir fazendo alguma coisa para que esta gente vá trabalhar... e deixe de explorar o próximo...