sábado, dezembro 10, 2011

Parlamento Europeu

9 comentários:

Manuel Santos Marques disse...

Os outros devem estar todos a pensar: «Este julga que é protagonista num filme sobre a vida do Cícero.» E o nosso Zé Manel de corninhos metidos nos papéis, a fingir que não é nada com ele.

António Branco disse...

Eles sabem lá quem foi Cícero...

Estão é a pensar "Não queres que te vamos ver as contas da City e estás para aí com merdas. De momento estamos a tentar perceber como é que substituímos temporariamente uma rainha e já falamos contigo."

Manuel Santos Marques disse...

Queria clicar no «like», mas não há.

António Branco disse...

o mundo está cheio de locais "institucionais" onde não nos podemos manifestar ;)

ou onde é mais fácil uma manifestação negativa (basta pensar nos livros de reclamação disponíveis em tudo quanto é sítio…). temos uma mente que facilita a manifestação negativa em detrimento da positiva... ainda hoje tentava lembrar momentos bons e momentos menos bons com determinadas pessoas. os menos bons são mais fáceis de recordar.

parece que nos custa mais dizer “gosto” (o que o Facebook facilita), do que “não gosto”, manifestação afirmativa da personalidade (como se o “gosto” o não fosse… como se fosse antes uma submissão à opinião alheia, um apoucamento da opinião própria…)
o ser humano é muito estranho. Não sei de onde raio teremos nós vindo…

Manuel Santos Marques disse...

Embora tenhas razão nisso de parecer custar mais dizer «gosto» do que criticar (e eu sou dos primeiros a pôr a cabeça no cepo), também podemos ser um bocadinho condescendentes e seguir pelo «quem cala consente»: ou seja, se não dizemos mal é por que achamos que nada precisa de mudar, o que já é uma aprovação. Embora a aprovação efectivamente expressa seja importante para quem é alvo dela, e nesse aspecto até acho que o Facebook me tem ajudado a progredir um bocadinho.

Isa disse...

Dava umas coisas (das poucas decentes que me restam) pra ter estado naquele momento naquele sítio.

António Branco disse...

O Facebook faz parte do Plano Divino para que todos nós demos importância à recompensa, mais do que a punição :D

António Branco disse...

Olá Isa! Se tens poucas coisas decentes mas ainda muitas indecentes, continuas uma rica mulher.
Quanto ao que o deputado diz, ele tem toda a razão. Mas por vezes diz-se a verdade por não haver alternativa... do que depreendi das conclusões desta última reunião (e olha que não percebi muito para que foi tanto tempo e tanta expetativa para um resultado - que me pareceu - tão amaricado) o Reino Unido não vai participar do futuro do projecto porque não quer que lhe auditem as contas... ora, esta é a mais digna causa para se manterem afastados. Assim... foi relativamente fácil dizer que os outros estavam todos sem a razão.
Então e com o que é que lhes atiravas (de decente, claro)?

L.O.L. disse...

http://ocantinhodomestre.blogspot.com/2011/12/desafio-musical-n-11.html